Feira da Pampulha na estação Alcântara-Terra

Feira da Pampulha na estação Alcântara-Terra

A Feira da Pampulha realizou-se na passada sexta-feira, 24 de novembro, de manhã até ao fim da tarde, e foi um verdadeiro sucesso!

Pela primeira vez a a acontecer na Estação de Alcântara-Terra, a Feira contou com os participantes habituais e também com algumas estreias, expondo bancas de feirantes que tiveram conhecimento da iniciativa e também quiseram marcar presença e outros que já “fazem parte das casa”.
Para a Feira, contámos com a participação da Associação CRESCER, do Clube das Costureirinhas, do Centro Padre Alves Correia (CEPAC), Alfazema Verde-Pensar Verde e Ajuda de Mãe.
No total, foram mais de 30 participações (bancas) numa oferta diversa e cheia de tradições e culturas distintas, algo que tão bem representa a Estrela.

Na Feira da Pampulha encontrámos de tudo, com uma vasta oferta de produtos alimentares, comida da Síria ou da Eritreia, por exemplo, pratos vegetarianos e iguarias da doçaria típica portuguesa, compondo um banquete gastronómico que satisfazia, de facto, todos os gostos. Também encontrámos peças de decoração de interiores, artesanato, vestuário e antiguidades em 2ª mão à mercê dos mais curiosos.

De manhã, as crianças e os seniores da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (CML), bem como as crianças do Centro Social Paroquial São Francisco de Paula (CSPSFP), visitaram o mercado.
Houve tempo para um pequeno lanche e ainda uma apresentação com as atores Nádia Nogueira e Bruno Rossi, que animaram o momento com as suas divertidas personagens.
Na hora de almoço, Nuno Rizo tratou da banda-sonora da Feira, com o seu saxofone, e foram muitos os transeuntes, passageiros de comboio, lisboetas e estrangeiros que foram passando pelas bancas da Feira.

Esta maravilhosa iniciativa tem crescido a olhos vistos, e há cada vez maior interesse por parte de quem procura novidades e produtos de qualidade, e a Feira acabou por promover tanto o comércio local, quanto o comércio justo, quanto a heterogeneidade de origens e culturas, numa amálgama muito rica e positiva.
Com a animação e divulgação da Feira da Pampulha criou-se um ponto de encontro para a partilha e o convívio, com comes e bebes entre vários parceiros locais e a estação de Alcântara-Terra com muita vida para além da rotina habitual.

Neste sentido, sabemos que estamos a ir pelo caminho certo e só esperamos que a Feira não pare de chegar a novos públicos, sempre com muita cultura, tradição, história e uma forte sensação de comunidade, sem esquecer a bela missão do projeto Pampulha Cria Valor, em ação constante de valorização e reconhecimento do território da Pampulha.
Assim, é bom viver na Estrela!
*