À Descoberta da Estrela – Casa António Sérgio

À Descoberta da Estrela – Casa António Sérgio

À Descoberta da Estrela – Conheça a sua freguesia!
Esta iniciativa, sempre de entrada gratuita, permite aos fregueses e a outros curiosos conhecerem melhor os encantos e recantos da Estrela, com todos os seus segredos, histórias e tradições.
Nesta última edição abrimos as portas da Casa António Sérgio e fomos conhecer mais uma pérola da nossa Freguesia.

Na Travessa do Moinho de Vento (à Lapa), existe uma casa-biblioteca que pertenceu a António Sérgio de Sousa.
Esta importante figura do “corporativismo” nasceu em Damão a 3/9/1883, tendo falecido em Lisboa a 24/1/1969.
Democrata, ensaísta, filósofo, historiador, pedagogo, político e reformador das mentalidades dos portugueses, António Sérgio foi activo participante em movimentos cívicos e culturais após a implantação da República, episodicamente Ministro da Instrução Pública na fase final da 1ª República, em 1923, exilado político no Estado Novo, primeiro em Paris e depois em Madrid, e uma vez amnistiado, o grande divulgador das teorias cooperativas europeias entre nós.

A Casa António Sérgio:, ou a Casa da Travessa do Moinho de Vento, foi a habitação de António Sérgio durante quase toda a sua vida (1926-1969), e é recordada pelos seus amigos e familiares pelo seu “ambiente harmonioso e tranquilo, convidando à reflexão e ao debate inteligente e cultivado.”
Em 1925 encomendou ao Arqt.º Raul Lino, o projeto de uma casa de habitação na Travessa do Moinho de Vento.
Já em 1936 são introduzidas outras modificações na casa desta vez subscritas pelo Arqt.º Couto Martins. Posteriormente, em 1939 são efetuadas as alterações mais vistosas.
Em 2 de março de 1982, a Casa foi cedida ao INSCOOP pela Câmara Municipal de Lisboa por protocolo assinado pelo seu presidente, Eng. Nuno Kruz Abecassis e pelo Presidente do INSCOOP, Prof. Fernando Ferreira da Costa.
Após um período longo de realização de obras de reestruturação (1982 – 1988) a Biblioteca do INSCOOP passa a funcionar na Casa António Sérgio, a partir de 1988, assim como a Biblioteca António Sérgio e outras peças com ela relacionadas (busto, secretária, etc.) que, desde 1979 tinham sido entregues pelos herdeiros.
A Biblioteca volta assim para a casa do Pensador que a reuniu ao longo de toda a sua vida, a utilizou como instrumento de trabalho e certamente de prazer. É o testemunho vivo de quem foi António Sérgio, da sua grande cultura do seu saber universalista.
Nestes últimos 20 anos tem sido fonte de investigação e de inspiração para grandes nomes da cultura.

O nosso grupo visitou o interessante Arquivo, com muitas memórias e elementos cheios de História, a Biblioteca, com um rico espólio, e recebeu do guia um fabuloso enquadramento sobre a pessoa que foi António Sérgio de Sousa, na sua ligação com o edifício e com o corporativismo, a sua causa maior.
*